segunda-feira, 27 de maio de 2013

Tentar viver

Tentar, tentar, tentar
voltar a tentar
tentar saber algo de mim
de quem eu sou
de quem eu fui
de quem eu esqueci.

O mundo esconde tantas verdades
ou mostra apenas mentiras?
Quero fechar os olhos
ao quer que seja
apagar cada pestanejar,
cada cicatriz do passado,
desaparecer.

As rugas da minha memória
matam-me e eu deixo-me morrer
nos teus braços, meu amor,
e somos o vento, somos livres
com o peso do universo nos ombros
caminhamos na incerteza de cada dia...



Palavras para alguém

Tenho imensa pena,
pensei que entenderias
cada gesto, cada palavra
todos os momentos que pensei serem suficientes
apenas poeira do tempo

Lê isto delicadamente: eu amo-te.
não deveria ser suficiente!?

Eu sei que buscas a perfeição
que pretendes voar mais alto
temo não poder acompanhar-te
eu apenas existo
e na minha insignificância permaneço
corpo cadavérico na escuridão
de cada dia, morri!

Pensei que soubesses 
não posso ser diferente de mim
sou eu, apenas eu
esta alma em pena
este coração estremecido.

Sou eu, 
serei eu quando me abraças
e me entristece o olhar!?