domingo, 3 de agosto de 2014

Como descrever o trajecto de cada lágrima
o pulsar de cada pensamento
e ver em mim a promessa de um eu
que não existe.
querer ser livre como um pássaro
voar no céu mais limpo, mais azul, mais alto
deixo-me ficar como uma cria aleijada
por terra caída
chorando na esperança que alguém me ira salvar
oh tonta de ti! Ninguém vira
ninguém te acudira
morres em terra com o sonho de voar.