terça-feira, 30 de maio de 2017

E viva não estou
E viva sou
A sombra de mim esquecida
E viva não estou
E em vida digo
Que me morri tantas vezes
perdida!
Que até custa a crer que ainda em mim palpita
O teu frágil coração
Ainda por nasceu
Meu amor! Meu filho? Minha filha?
Perdoa-me!
Por querer morrer
Por não conseguir suportar
A dor que me agonia.

Sem comentários: